abril 01, 2005

Reflexão semanal!. 2

Novos protagonistas às Presidenciais!
Já em tempos me referi no post “Presidenciais aproximam-se” aos dois maiores possíveis candidatos e a uma possível luta entre António Guterres e Cavaco Silva, já que parecia ser essa a vontade da maioria da opinião pública. Agora, com o convite de Guterres para possível escolha como Alto Comissário da ONU para os Refugiados e isto se Guterres for escolhido, as presidenciais terão novos protagonistas e cenários, e muitas das “contas” que eram feitas, deixam de ter validade. É uma viragem no figurino da política e nos desejos da maioria daqueles que julgariam ver um confronto entre esquerda/direita ou seja, entre Guterres/Cavaco. Este sim, seria um confronto com gosto, não só pelo passado dos seus protagonistas, mas porque a direita que saiu do poder com amargos de boca, não se esqueceu e veria neste confronto como que uma vingança na possível vitória do seu candidato, para depois dizer que a sua derrota para o parlamento não passou de um percalço, com a ajuda do Presidente da República. Também seria uma boa forma de a direita pressionar o governo através do Presidente da República a cometer erros que poderiam dar origem a uma demissão por parte do PR, ou pelo menos fazer-se novamente de “vitima” dizendo que se fosse com Jorge Sampaio já tinham sido demitidos.
Muitos dos seus aficionados (PSD) pensam assim e creio que só se regem pela vingança não querendo saber a melhor forma de governar o país, mas tenho a certeza que estes não constituirão maioria num partido democrático e também seja qual for o Presidente da República respeitará a ordem estabelecida.
A ver vamos!
Ag
Importante: Acabo de saber a noticia que Guterres vai já para Alto Comissário da ONU e Cavaco Silva rejeitou sua candidatura à Presidência, porque queria um confronto com Guterres.
Nota: Foi uma partida do dia 1 de Abril.

6 comentários:

Rui Ribeiro disse...

Agostinho,

Não concordo com a redução da disputa presidencial a um mero combate entre protagonistas pré-anunciados, que só iriam a jogo se fossem ambos. Mesmo do ponto de vista de Guterres, admitindo que a visão tida de Cavaco não é muito positiva, isso não o deixaria bem na fotografia.

Goste-se ou não de Cavaco, o primeiro e o segundo governos foram protagonistas de um esforço de modernização por todos reconhecido. Mesmo elementos da esquerda reconhecem, hoje, por comparação com boa parte dos actuais protagonistas, que Cavaco é um político acima da média.

Pessoalmente estou convencido de que Cavaco irá às eleições em qualquer circunstância, e que merece ser candidato, pelo passado político que detém.

Por outro lado, este fervor à procura de candidatos parece algo exagerado. As coisas acontecerão com naturalidade, seguindo o seu normal desenvolvimento, os candidatos surgirão com as suas propostas, nos momentos em que o entenderem. Não vale a pena precipitar-mo-nos com a voracidades dos analistas, que também têm de satisfazer as suas clientelas.

Um abraço

Anónimo disse...

Estou muito admirado com a atitude de Cavaco Silva. A questão das presidenciais é uma mera disputa entre dois candidatos perfilados de esquerda direita, que mais parece um jogo de quem ganha e quem perde.Estou desiludido com esta atitude.André Souto

Anónimo disse...

Não entendi!Porquê? carlos

DP disse...

Rui Ribeiro, realço e cito o que disseste "Mesmo do ponto de vista de Guterres, admitindo que a visão tida de Cavaco não é muito positiva, isso não o deixaria bem na fotografia".
É verdade o que dizes porque Cavaco Silva não disse nada sobre a sua disistência assim como Guterres "ainda" não foi ou se irá para Alto Comissário da ONU.Foi dia 1 de Abril "dia dos enganos" e quis pregar uma partida.Desculpa.Ag

DP disse...

Quanto ao Post em si mantenho a minha visão sobre as presidenciais.Ag

DP disse...

Para o André Souto e carlos a mesma coisa foi 1 de Abril conhecido como dia dos enganos e por isso a mentira sobre a nota "importante". Ag