março 20, 2005

As familias dos 2 agentes mortos devem ou não ter apoio financeiro, uma vez que não têm descendentes directos?

Dois agentes da PSP foram mortos na madrugada deste domingo no bairro da Falagueira, Amadora. Os dois agentes foram baleados com uma arma de calibre de guerra por um homem que, entretanto, já foi identificado segundo a TSF. Ainda está por decidir se as famílias dos dois agentes mortos têm ou não direito a apoio financeiro, uma vez que os dois polícias não tinham descendentes directos.O agente António Carlos Fernandes Abrantes, de 30 anos, era casado mas sem filhos, enquanto o seu colega, Paulo Jorge de Oliveira Alves, de 23 anos, era solteiro e residia actualmente em Queluz.A decisão sobre um eventual apoio financeiro às famílias dos agentes mortos na Amadora compete à Direcção Nacional.
LS

28 comentários:

O Micróbio disse...

Devem ter direito ao que está estabelecido na legislação em vigor e que aborda este tipo de situação. Que por acaso não conheço...

yulunga disse...

Então e os ascendentes directos? Pelo menos em questão de heranças têm os mesmos direitos dos descendentes. Para não falar das dividas ao Estado. Claro, porque quando toca nesse aspecto o Estado vai até ao limite

Adryka disse...

Acho que sim, e devem ter direito a apoio financeiro todas as vitimas de crimes em que o sustento da casa desaparece, existe na lei um qualquer diploma ou o que queiram chamar que é dada sempre indiminização, quando n/ dá o Réu fica para o estado pagar , mas isso é uma pinóia de uma treta...tenho um caso na familia.E por isto e por aquilo a criança ficou sem pai com 16 meses a mulher ficou sem marido com 21 anos, o assassino, cigano no julgamento amedrontou as testemunhas ninguém falou...o Estado põe se de fora pois diz que tudo fez para resolver...que país é este é das bananas ou dos morcões.
Que se lixem as leis.

Anónimo disse...

A lei deve prever estes casos, até porque um deles era casado e o outro tem concerteza pais ou irmãos.Se assim não for,é uma grande injustiça que é preciso pôr cobro.Ag

O Micróbio disse...

Toda a gente tem um pouco de razão... E estou a sentir bem na pele este caso, visto que um dos polícias que morreu era daqui da Guarda e filho de um grande amigo do meu sogro. Por isso, ontem à noite lá estive na Ig. da Misericórdia junto de uma imensa multidão em silêncio... um silêncio de revolta! Quanto ao que foi dito, só não estou de acordo com a última frase da Adryka... felizmente ainda não somos governados pela anarquia!

O Micróbio disse...

Entretanto tenho a ousadia de deixar esta mensagem: Os Micróbios tb se abatem... pela idade!

yulunga disse...

Micróbio tenho que concordar com a Adrika. Diz-me tu, então, em que "coisa" vivemos quando a bandidagem tem melhor armamento que as forças de segurança

DP disse...

A minha solidariedade para com as familias das vitimas.Mas que deixa no ar um sentimento de revolta por tudo o que está acontecer, ai isso deixa!Então já temos grupos organizados com melhor armamento que as nossas forças de segurança.Estamos onde?Já parecemos um daqueles países em que a lei tem pouca força e depois vê-se no que dá.Ag

yulunga disse...

Agostinho, não queres que te enuncie um boa lista de bairros onde são tudo bons rapazes, pois não?

Adryka disse...

Microbio, a minha revolta vai para as leis que só existem nos papeis...sabes que eu falo de um irmão de 23 anos, que foi morto e que nem houve condeção por falta de provas...porque o medo aos ciganos impera e ninguém faz nada...todos sabiam quem foi só que nos dias anteriores ameaçaram as testemunhas, e claro na hora do julgamento com o reu preso pela P.J.ninguém confirmou o que tinha dito á dita policia, e olha foi o dito pelo não dito e o meu irmão está morto.As leis são termos bonitos para Inglês ver e para constar no papel.Desculpa a minha revolta.

Adryka disse...

Yulunga, sabes os bandidos os assassinos matam roubam violam, e ainda tem quem os defenda e nós ainda os sustentamos quer com advogados oficiosos, e caso sejam presos damos-lhe a comidinha a horas, cama e roupa lavada, coitados dos pobres e sem abrigo que para benificiar disso teriam de ser bandidos.Vês-se o caso da Joana se não fizeram mal á miuda porquê gosar com as autoridades dizendo que está aqui está ali...porra nós temos sangue ...e isso faz qualquer um sair do sério...pois a sujeita veio falar e já é uma vitima das autoridades, mas eu tenho mesmo dificuldade em comprender certas coisas...por esse motivo até as autoridades não sabem como se comportar e o que fazer, se mandam uns estalos estão tramados se nãõ fazem nada, não há crise porque os bandidos matam-nos...digam que não tenho razão...Isto é revoltante.

Rui Ribeiro disse...

Quanto ganha um polícia? 500 euros? 600? Podemos pedir a alguém que morra pela segurança dos outros, por 600 euros, e deixar que quem teve a infelicidade de ser familiar de alguém que perdeu a vida a tentar zelar pela segurança dos outros, nem uma compensação financeira mínima tenha? Que mensagem se passa aos membros das forças de segurança, se nada é assegurado, na morte deles, às familias respectivas?

O mínimo que se pode fazer a quem paga com a vida a segurança dos outros é assegurar que as familias (esposas, maridos, mães ou outros familiares a cargo de quem pagou o preço mais alto) não terão de mendigar pela sobrevivência! Se nem isso se faz, que mer*** de Estado é este?

yulunga disse...

Adryka sei muito bem que são bandidos. Lidei, por perto, durante algum tempo com esse tipo de pessoas (ciganos, dealers, bandidos em geral). E se alguns enveredam por esse tipo de vida, mas com grandes possibilidades de recuperação, outros há que só mesmo pela lei do: quem com ferros mata com ferros morre (Amén). Reincersão social resulta numa minoria.

O Micróbio disse...

Eu mantenho a minha posição, as leis foram feitas precisamente para não se cair no estilo "quem com ferros mata, com ferros morre". Além do mais, esta discussão já teve resposta dada pelo próprio primeiro-ministro. No entanto, fiquei estupefacto que pelos argumentos aqui deixados posso concluir que, afinal de contas, há muita gente que é capaz de esgrimir argumentos a favor da pena de morte!

O Micróbio disse...

Só um aparte em relação aos funerais de ontem... o funeral de Rio Tinto (Porto) teve direito à presença de um ministro (António Costa), o da Guarda teve direito a um representante (nem sei o nome)... afinal de contas o interior continua a ser o interior! Enfim...

Anónimo disse...

Caro Micróbio,o representante que esteve na Guarda foi o secretário de estado da administração interna, josé magalhães.
David

O Micróbio disse...

David, obrigado pela informação... mas como se costuma dizer que "cada um tem o que merece", se calhar o melhor é calar!

yulunga disse...

Reinserção. Que bela calinada.

yulunga disse...

Micróbio eu não falei em pena de morte. A expressão que usei "quem com ferros etc." é uma expressão. Se fosse a favor, teria dito matem-se esses gajos. Mas acho que umas penas bem duras, um controle bem apertado com sse tipo de gente, e acima de tudo mostrar quem manda.

Adryka disse...

Olá Micróbio, pensa só...se matassem um irmão teu, de uma forma covarde, o que desejavas a quem matou o teu irmão?prisão ...Não sei não só sofrendo mesmo na pele...
E eu n/ sou a favor da pena de morte só por temer que algum inocente seja morto, mas não e de todo concordo com a vida dos bandidos dentro das cadeias a viverem á custa dos nossos impostos, existe tanto trabalho comunitário, para os obrigar a faze-lo, existem tantas matas para limpar, tantas estradas para construir...consuante o crime deveria ser o trabalho a efectuar pelo preso, quanto mais violento fosse o crime mais violento seria o trabalho a prestar á comunidade...desculpa a frieza mas é assim que penso.O meu jovem irmão está debaixo da terra e eu estou a criar a filha que ele amava, e nada aconteceu...

DP disse...

ADryKa lamento a tua perda e estou solidário com o que dizes.Quem sofre na pele tem outra visão da forma como deveriam ser tratados estes casos.Falaste num caso que toda a gente conhece "Joana" e parece-me como tu dizes que a justiça gosta de ser enganada e provavelmente não vai haver caso sendo ilibados dos crimes cometidos e ainda vão pedir uma indemnização ao estado por serem molestados.É verdade que nas prisões já se reclama de tudo e lembro-me do meu filho dizer aquando da reportagem numa prisão "olha pai, na prisão tem uma biblioteca muito melhor que na nossa escola".Sendo assim..Ag

O Micróbio disse...

E mais ainda... até os empregadores têm regalias caso optem por recrutar ex-presidiários para as suas empresas em nome da tal "reinserção social"... e os outros - desempregados de curta e longa duração - que têm registo criminal limpo... enfim. Que façam alguma para serem presos...

O Micróbio disse...

Adryka, compreendo e respeito a tua opinião. E até acho que não foste fria e se acontecesse uma coisa dessas comigo o mais certo era estar na biblioteca de uma prisão a escrever um qualquer blog... :-))

yulunga disse...

A propósito da mãe da Joana, não sei se apanhou ou se caiu, mas fosse eu policia enquanto ela tivesse aquela tromba negra dava-lhe sempre no mesmo sitio. Não lhe fazia nem mais uma nódoa negra.Mais que não fosse por fazer batota a brincar às escondidas.

Anónimo disse...

Correcção: o José Magalhães é Secretário Estado Adjunto da Administração Interna,
não que adiante muito mas fica reposta a verdade.
David

O Micróbio disse...

Uma grande Páscoa!

Anónimo disse...

Acho que nós, cá do Brasil, não herdamos apenas a cor da pele ou o idioma dos nossos ancestrais Portugueses, creio ter-nos deixado tbm a maldição dos ciganos, já que aqui tbm vem ocorrendo diversos crimes praticados pelos ciganos.
Nós mesmo fomos vitimas de sequestro e assassinato de nossa filha, que foi a 2ª de 5 vítimas de um Serial Killer de etnia cigana, que a Justiça ainda dá o direito de responder ao crime em liberdade, por ser considerado "réu primário"...
Viva D. Pedro de Alcântara... Sou neta e filha de Portugueses,mas acho que não devemos mais aceitar tais fatos, precisamos mostrar que não temos sangue de barata.

Anónimo disse...

Hoje sou sim a favor da pena de morte, pois não vejo justiça no Brasil e nem em outros países, se não, não estariamos ca a falar deste assunto.
Crime Hediondo não merece prisão, mas sim a morte. Se algum inocente vier a sofrer por isso, garanto-lhes que sera em menor numero do que os que morrem hoje por qualquer motivo banal como: brigas, assaltos, etc...
Mas, pelo menos, teremos a certeza de que um assassino frio e cruel, jamais matara novamente outros inocentes.
Mas enquanto a Pena de Morte não acontece, sugiro, que o assassino, trabalhe o resto da vida, preso, e pague com seu trabalho aos familiares de suas vítimas.