fevereiro 14, 2005

Respeito???

Cito “A atitude do Dr. Santana Lopes é reveladora da sua fé e demonstra um grande sentido de Estado. Muito bem Sr. Primeiro-ministro”. – Diziam muitos dos seus seguidores assim como alguns autores deste blog.
Depois de se ouvir as declarações de D. Manuel Martins, logo acompanhado de mais algumas vozes do clero, parece que o Sr. Santana Lopes e o Sr. Paulo Portas, mais uma vez meteram a pata na poça e as coisas não lhes correram de feição e o que esperariam que acontecesse, como sendo os únicos partidos que respeitam a memória e o luto pela Irmã Lúcia, está-se a virar contra eles.
Vamos lá ver a quem vão atribuir as culpas?
Ag

29 comentários:

Luis Silva disse...

Caro Agostinho não me admiro nada com as declarações desse SR., aliás conhecido por ser um dos maiores "comunas" do país.

Anónimo disse...

rsrsrsrsr o mundo não anda bom.

Anónimo disse...

O PS não “abrandou” também a campanha eleitoral devido à morte da Irmã Lúcia?
Se sim então porque razão é que só o Santana Lopes e o Paulo Portas é que são os “maus da fita”?
Não merecerá também ele (Sócrates) ser metido no mesmo saco que Santana e Portas por parte daqueles que criticam a atitude destes últimos dois?
Para terminar não me parece que a posição do D. Manuel Martins seja a opinião oficial da Igreja (que ainda não ouvi), e tentar fazer com que seja não me parece muito correcto.
Trata-se da opinião pessoal de uma pessoa que faz parte da Igreja, tal como é a opinião do padre que no passado domingo numa paróquia de Lisboa, tentou “orientar” o sentido de voto de quem foi à missa e tal como a opinião de muitos elementos da Igreja que não concordam com a importância que se dá a Fátima.
David

Ermelinda Toscano disse...

Caro Luís Silva: sinceramente... para quem se insurgiu, e muito bem, com o epíteto de «fachos» aplicado à malta que escreve neste blog, acho que o comentário ao post do Agostinho é bastante despropositado no que toca à linguagem utilizada. Para quem exige respeito e contenção na adjectivação das pessoas, classificar D. Manuel Martins como “um dos maiores comunas do país” tentando, assim, depreciar a personalidade daquele bispo, é indigno de quem se diz católico e só demonstra o total desconhecimento pela notável obra deste Homem a qual merece, sem margem para dúvidas, toda a nossa admiração pelo louvável e ímpar trabalho desenvolvido no distrito de Setúbal na luta contra a pobreza. E já agora como classificar D. Januário Torgal, bispo das Forças Armadas, que foi ainda mais duro do que D. Manuel Martins nas críticas que, sobre o assunto, dirigiu ao PSD e ao PP? Será outro perigoso comuna? É caso para pensar que a Igreja está infestada de comunistas… E, já agora, onde está a coerência desses partidos que, em dia de luto nacional, com a campanha eleitoral suspensa, acabam por ir participar no debate de logo à noite na RTP1?

Anónimo disse...

O epíteto de "Bispo Vermelho" foi-lhe posto por defender os pobres e desprotegidos. Será que só os comunistas é que se preocupam com os pobres? Não é próprio da Igreja enquanto tal defender os pobres? Não entendo!
Manuel

Anónimo disse...

O PS não suspendeu a campanha como os partidos de direita, mas apenas a parte festiva da mesma. Como esses partidos não têm uma componente séria nas suas campanhas, consideraram que tinham mesmo que parar.
Mnuel

O Micróbio disse...

D. Manuel Martins foi sempre muito respeitado por facções opostas à Igreja (talvez pelo trabalho demontrado pelo seu episcopado no distrito de Setúbal... bem salientado pela Ermelinda no seu comentário), excepto quando se mostrou favorável ao Não no referendo sobre o Aborto! Mas isso saõ águas passadas... O que convém talvez realçar aqui é a questão da relação Igreja-Estado. Sendo os padres figuras da Igreja, não posso deixar de lhes dar ouvido, em sede própria, no que concerne a questões doutrinais. Agora quando descem do púlpito e desatam a abordar temáticas que saiem fora do âmbito doutrinal, dar-lhes-ei ouvidos como dou a qualquer homem por respeito, mesmo que seja de opinião contrária. E neste caso não estou de acordo com o D. Manuel Martins nem com D. Januário Torgal por que simplesmente não tenho por hábitos julgar intenções... que foi o que eles fizeram!

DP disse...

Parece-me que com isto tudo, quem esperaria tirar dividendos de uma ocorrência em nome da religião, explorando os sentimentos e fé da maioria do povo português e suas intenções foram desmascaradas pelos próprios elementos do clero, não venham agora fazer-se de vitimas e rotular de "comunas" quem acha e tem opinião contrária.Ag

Anónimo disse...

Cito o Micróbio "Agora quando descem do púlpito e desatam a abordar temáticas que saiem fora do âmbito doutrinal, dar-lhes-ei ouvidos como dou a qualquer homem por respeito",mas o contrário ou seja, quando estão no púlpito e fazer orientação politica, o que é que achas micróbio? anónimo.

O Micróbio disse...

Acho que isso está subentendido no meu comentário, anónimo! Mas foi isso que aconteceu? Não me digas que vais dizer que o Pde. Loreno deu orientação política no alto do púlpito!!!

yulunga disse...

D. Ermelinda tenho lido, mas não estou muito virada para esta discussão, mas permita-me um comentário. Pegando nas suas palavras:"só demonstra o total desconhecimento pela notável obra deste Homem a qual merece, sem margem para dúvidas, toda a nossa admiração pelo louvável e ímpar trabalho desenvolvido no distrito de Setúbal na luta contra a pobreza." Ok! O sr. tem tido este tipo de trabalho e tolo será o que lhe tirar o mérito, mas não tem nada a ver. Ele é um grande comuna e ponto. Ou os bons não são comunas ou os comunas não são bons? Que tal separar as águas para o vosso debate ser proveitoso?

Anónimo disse...

O Padre Lorena disse aos católicos presentes na missa para não votarem em partidos que defendessem o aborto e o divórcio e não tivessem a família como um valor importante. Ora, a questão do aborto faz logo com que os fiéis não possam votar em nenhum partido de esquerda nem em metade do PSD, o divórcio faz com que não se possa votar, entre outros, nem no Sócrates, nem no Santana nem no Jorge Sampaio, todos são ou já foram divorciados. A questão da família como valor fundamental a defender exclui o Paulo Portas e o Mota Amaral, que nunca constituiram família. Então podemos votar em quem, Sr. Padre? Porra, mais lhe valia estar calado!!
Manuel

Anónimo disse...

Eu pensava que o estilo do padre Lorena já estava extinto há mais de 20 anos, afinal...
Logo a seguir ao 25 de Abril, havia aí um padre num terriola que na altura das eleições se punha aos coices no púlpito e a berrar desalmado:"Não votem nos comunistas, porra, não votem nos comunistas!!"

DP disse...

David, quem deu sinais de hipócrisia e meteu água foi Santana Lopes e Paulo Portas ao suspenderem a campanha.Que tem a ver Sócrates com isso?Sócrates só suspendeu a parte festiva da campanha o que se compreende, mas deixou a parte do esclarecimento politico que é para isso que ela existe.Se assim não fosse para que serviriam as campanhas antes de cada eleição.Ag

Anónimo disse...

Já ouvi muita gente chamar comuna ao D. Manuel Martins, mas nunca percebi porquê. Ele defende ideias Marxistas ou Leninistas? Agradecia que alguém me explicasse por que razão lhe puseram esse epíteto.
Manuel

Anónimo disse...

Coitados, saiu-lhes o tiro pela culatra. Bem feito!

DP disse...

Manuel, se só os comunas defendem os mais desfavorecidos,triste é o nosso país que não tem instituições capazes desses actos de nobreza.Ag

Anónimo disse...

Quem estranha o facto de D. Manuel Martins defender os pobres talvez esteja mais habituado a ver a Igreja tomar o partido dos poderosos e viver em grande fausto. Daí ter aparecido a ordem dos Franciscanos, para mostrar que a igreja também pode estar ao lado dos pobres. Agora chamar comunas a essas pessoas é ridículo.
Manuel

Anónimo disse...

Se realmente os comunas são os únicos defensores dos pobres, agora percebo porque é que o Salazar, como anti-comunista que foi, fez tudo para que os pobres continuassem pobres.
Manuel

Anónimo disse...

"Daí ter aparecido a ordem dos Franciscanos, para mostrar que a igreja (sic) também pode estar ao lado dos pobres"??? Lamento informar, mas não corresponde à verdade. Isto é que é um verdadeiro pecado, falsear a História para justificar alguma coisa.

O Micróbio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
O Micróbio disse...

Por aqui prolifera o anti-clericalismo primário, o tal que em tempos promovia o célebre ditado: "Enforcarei o último padre com as tripas do último Bispo"... Se o Pde. Loreno no alto do púlpito não fez mais do que defender aquilo que a Igreja defende, qual é o problema? Ou estarão porventura assim tão melindrados aqueles que nunca colocaram os pés numa igreja e agora rasgam vestes de escândalo!

O Micróbio disse...

"Manuel, se só os comunas defendem os mais desfavorecidos,triste é o nosso país que não tem instituições capazes desses actos de nobreza."... Agostinho, sabes bem que assim não é! Sei que moras perto de Tondela, dá um saltinho até Campo de Besteiros e vê com os teus próprios olhos a obra que o Dr. João Almiro (não sei se conheces) realizou. Qual a instituição que está por detrás? Já para não falar nos inúmeros protocolos que existem por este país fora entre Câmaras (algumas delas até de maioria comuna) e a Caritas para realização de acções de voluntariado em bairros desfavorecidos... podem ser poucas e não chegar a todo o lado, mas é preciso dar mérito às poucas instituições que ainda existem, sem esquecer que neste campo digam o que disserem é preciso assinalar o contributo da Igreja.

gargantua disse...

Cá para mim este Manuel que por aqui pulula entre os comentários não é mais que o próprio D. Manuel Martins disfarçado. Mas, Ó Manel, olha que as vestes dos bispos são carmim e não vermelhas de cardeal como as que tu vestes!

DP disse...

Carlos, conheço muito bem a obra do Dr. João Almiro e os mais necessitados e carenciados agradecem assim como toda a sociedade deve agradecer a obra deste homem.Quando falo "se só os comunas defendem os mais desfavorecidos,triste é o nosso país que não tem instituições capazes desses actos de nobreza" é com uma certa ironia aos que dizem que o D. Manuel Martins é Comunista por defender os mais desfavorecidos. Que eu saiba o Dr. Almiro não é comunista e defende também os mais desfavorecidos. Ag

O Micróbio disse...

Agostinho... tu já disseste tudo!

Anónimo disse...

Também sou Manuel Martins, mas não sou Bispo nem Cardeal, não visto de vermelho nem de carmim. Também não sou anti-clerical, nem me chateio com a Igreja desde que ela também não me chateie a mim, mas acho a frase "Enforcarei o último padre com as tripas do último Bispo"... deliciosa.
Em relação aos Franciscanos, peço desculpa se me enganei, História não é o meu forte.
Manuel

DP disse...

Também quero dizer ao micróbio que sempre fui claro e não emprego a subjectividade para ter opiniões diferentes.

DP disse...

Fui eu que não assinei micróbio. Ag