fevereiro 03, 2005

Santana deu enorme lição a Sócrates

Costuma dizer-se que quem não está no poder tem mais vantagens em criticar aquilo que este faz. A julgar pelo debate, notou-se o contrário. O engenheiro nunca na vida dele pensou que iria ter pela frente um Primeiro Ministro calmo, sereno, tranquilo com verdadeiro sentido de responsabilidade e de homem de Estado. Não estou a puxar a brasa ao Governo, estou apenas a constatar aquilo que todos assisitiram.
Depois deste debate qualquer indeciso sabe interpretar qual o candidato que em quem vai votar, pois cartazes como "vamos criar 150 000 empregos", ou "300 000 idosos menos pobres", nada mais são que propaganda eleitoralista, promessas impossíveis de cumprir. NÃO MINTA AO POVO ENGENHEIRO SÓCRATES.
LS

4 comentários:

yulunga disse...

Pois eu continuo a achar que nenhum dos dois tem maturidade suficiente para exercer o cargo. Continuo à espera de politicos que abordem temas polémicos, os de base, sobre os quais se pode construir uma economia estável. Gostaria de os ouvir falar de justiça, à séria claro, de segurança, de educação. Estão à espera de construir o quê sobre alicerces podres? Estão à espera de investidores num país que não tem bases sólidas? Provavelmente sou eu que não entendo mesmo nada de politica, mas é esta a minha opinião.

Anónimo disse...

Deves ter estado noutro debate que eu não vi Luis.Quem ganhou a quem? Não vi ideias em nenhum deles de como resolver a crise.Os problemas que o país atravessa não foram debatidos nem sequer abordados.O formato do debate na minha opinião também não ajudou.É preciso mais fervura (caracteristica latina)para que os candidatos exponham as suas ideias.Ag

Montellano disse...

O post do Luis só demonstra a dificuldade de ser imparcial - os apoiantes de Sócrates vêem nele um "vencedor".
Parece-me que (quase) ninguém gostou deste formato de debate. Eu não gostei da forma como foram abordados os temas, de uma forma muito superficial. Como diz o outro: "estou na mesma"!

O Micróbio disse...

Montellano, imparcialidade na política? Onde raio foste buscar tal coisa? É claro que em tudo, para este povinho, terá de haver sempre um vencedor que é decretado de acordo com a paixão de cada um. Aliás, ontem não tivémos um debate... tivémos sim um autêntico derby de futebol com todas as picardias habituais que se passam por esses relvados fora. Até os árbitros ontem estiveram mal... e no final, lá tivémos um vencedor no relvado e um vencedor moral!