dezembro 12, 2004

A importância do que se lê

Hoje proponho para reflexão um texto de Aldinida Medeiros:
«"Os prazeres da leitura são múltiplos. Lemos para saber, para compreender, para reflectir. Lemos também pela beleza da linguagem, para nossa emoção, para nossa perturbação. Lemos para compartilhar. Lemos para sonhar e para aprender a sonhar..."; donde podemos concluir que a leitura é imprescindível à vida do ser humano, visto que ela não é apenas um meio de aquisição de informações, mas sim, uma das molas propulsoras do conhecimento, no sentido mais amplo dessa palavra. (...)
Diante de tal afirmação, é premente que afirmemos a necessidade de formarmos bons leitores. Desde a idade mais tenra é necessário estimular boas leituras, propiciar aos leitores obras que lhes abram os horizontes à reflexão. Embora a actualidade não favoreça a isso, pois os livros têm actualmente concorrentes poderosos, que não existiam antes: o cinema, a TV, mais modernamente os "games", o computador, sobretudo a Internet. Usados na medida certa, sem exageros, esses instrumentos de diversão favorecem a formação das crianças, despertando-lhes mais rapidamente atitudes de perspicácia.
Entretanto, o que acontece é que já faz algum tempo que as crianças e adolescentes deixaram totalmente os livros de lado, dedicando-se somente ao mundo eletrónico-cibernético. Nesse caso, estamos há algumas boas décadas criando uma cultura de leitores de massa, de não-leitores, enfim, de pessoas afundadas na cultura de massa, por falta da formação de bons hábitos de leitura.»
ET

1 comentário:

Montellano disse...

Cara ET,
Concrodo consigo quando afirma que é necessario estimular as crianças de tenra idade para os ("bons")hábitos de leitura.
Já não posso concordar quando fala da concorrência da internet, da TV, ... Na minha infância nada disso existia, e a maior parte das crianças não lia livros que não tivessem "desenhos".