dezembro 12, 2004

Pobre país o nosso que chama a um burro...PAVAROTTI

A TV dos "Analfas".
A nossa ET colocou num post anterior um tema para reflexão relacionado com os (poucos) hábitos de leitura dos portugueses. Ao fazê-lo levou-me a escrever sobre a TVI e o Pavarotti.
Temos todos o dever de criar nas nossas crianças e jovens bons hábitos de leitura que os levem cada vez mais a pensar a nossa lingua, a nossa cultura e a interpretarem de melhor forma o próprio mundo. Sabemos que maior parte dos autores leccionados nas escolas a começar pela primária até ao ensino superior, são autores do séc.XVIII e XIX, logo defendendo teorias que nos dias de hoje não se aplicam à realidade. Exemplo disto é o facto de ainda ensinarem aos nossos jovens as teorias de Marx, de Freud, de Einstein e tantos outros que já nos esperam no outro mundo, há mais de um século. Quando se fala ou escreve do poder que as novas tecnologias têm nos dias que correm e se criticam os jovens por passarem tempo de mais na internet, quem o faz não sabe o que diz. A internet bem aproveitada pode incutir nesta juventude o gosto pela leitura, o gosto pelo descobrimento, o gosto pela investigação. Hoje em dia é mais fácil um jovem ler noticias pela net, por exemplo, do que comprar um livro ou um jornal para ler.
Defendo mais que um jovem passe uma hora na net por dia, porque pelo menos anda a ler qualquer coisa, do que passe uma hora a ver a quinta das celebridades e aquela apresentadora "desgronhada" a falar com um burro a quem a produção decidiu chamar Pavarotti, conseguindo passar para a opinião pública, nomeadamente crianças, a ideia que Pavarotti é um burro e é assim que será para sempre lembrado por algumas gerações que nunca tiveram a oportunidade de saber que Pavarotti é na realidade o maior e mais conceituado tenor do mundo.

LS

4 comentários:

Montellano disse...

LS,
Acho que tocou no cerne da questão: importante é saber ESCOLHER a informação, independentemente do meio que a veícula.
Deixe-me só acrescentar que as teorias de Freud, Marx e Einstein ainda são bastante aplicáveis - há que saber "actualizá-las"!

Luis Silva disse...

Qualquer dia a TVI põe no ar o Pavarotti a ler as teorias de Marx, Freud e Einstein para as criancinhas.A isso se chama actualizar e adaptar conhecimentos à era moderna:)

Anónimo disse...

Não vamos dramatizar o assunto, aliás não lhe vamos dar nenhuma importância... Chamar Pavarotti a um burro, cai no mesmo saco do que chamar Nero a um cão (que os há). O que importa saber nesta situação é a forma como iremos fazer com que as pessoas SE INTERESSEM por saber quem é Pavarotti.
No que respeita a cultura, curvo-me perante aquelas mentes iluminadas que entendem que na escola apenas se deve aprender as teorias de determinadas personalidades, que embora ainda tenham alguma aplicação, já sofreram inúmeras "actualizações".
È importante dar a conhecer o que se fez mas mais importante do que isso é dar a conhhecer o que se faz.
Os portugueses têm poucos hábitos de leitura, ou têm maus hábitos de leitura?
Pessoalmente sou adepto das folhas do jornal, do prazer de as folhear, ou do cheiro a novo do livro que acabamos de comprar, mas no entanto também leio jornais e pesquiso na internet, e acredito que seja mais fácil para um jovem ler uma notícia na internet do que comprar um jornal. Se é assim que tem que ser, que seja!
Chamo a atenção apenas para um pequeno (grande) detalhe: a internet bem aproveitada
David

José Gustavo Teixeira disse...

Só duas notas sobre o profundo moralismo deste post:
(1) então o estudo e a leitura dos clássicos não se adapta à realidade actual?
(2) a propósito, lembro-me de há muitos anos ser comum chamar "Benfica" ao cãozinho lá de casa.